Weeds: Termina sem dignidade, mas final emociona (series finale)

Ontem vocês leram o texto de Peter Guimarães sobre o series finale de Weeds, agora é a vez do meu pitaco.

Conheci tardiamente a série de Nancy. Tem o que, um ano? Depois de tanto assistir as chamadas no GNT, resolvi conferir qual era a dessa produção. E viciei, tal qual os personagens, envolvidos no mundo do tráfico de drogas.

As primeiras temporadas tem uma pegada incrível e, para quem fez maratona como eu, foi impossível parar de assistir até alcançar os episódios mais recentes.

E foi um prazer acompanhar o incrível trabalho de Mary-Louise Parker e Elizabeth Perkins. Nancy e Celia são repletas de conflitos, intensas, esquisitas, doidas e mais uma infinidade de adjetivos. Resumindo, completas.

Weeds conseguiu sobreviver uma temporada inteira sem as trapalhadas de Celia Hodes. A sexta temporada, para mim, foi a melhor de todas. Veio embalada com a passagem pelo México e, depois, a fuga dos Botwin.

Tirando isso, só valeu a pena pela tensão do envolvimento lésbico de Nancy na prisão, o que veio depois foi totalmente desnecessário. Seguiram com Weeds quando já não havia mais o que contar e desfiguraram, inclusive, a protagonista.

Nancy, tão blasé, terminou extremamente melancólica e carente dos filhos que, vamos combinar? Apesar de sempre demonstrar preocupação, ela estava bem cagando e andando pra eles. Idem para o bundão do Andy que ela só queria que estivesse aos seus pés.

Pior que tudo isso foi ter que aturar Doug. Sério, o que ele acrescentou esse tempo todo?

Valeu, no entanto, pelo centésimo episódio, um achado com a reunião de diversas figuras que passaram por Agrestic ou “Regrestic” durante praticamente uma década. Senti falta de Helia. E Celia Hodes.

Vamos combinar? Eu de Elizabeth também não teria voltado.

Lógico, também valeu pelo final. Bonitinha e emocionante a sequência com os cinco guerreiros que seguraram a peteca de manter Weeds em plena atividade.

Agora a gente não vai mais ouvir Little Boxes e Nancy já não vai mais aprontar. Mas fica uma lição: por mais difícil que seja quando descobrimos que uma produção deixará de ser exibida, é bom lembrar de Weeds e House. As duas terminaram quando já tinham passado do ponto.

Se tivessem dado fim a Weeds após o tiro em Nancy, perfeito! Mas quiseram desgastar a história mais um pouquinho…

Saldo positivo: Friends, Dawson´s Creek, Will & Grace, Old Christine, Ugly Betty, Desperate Housewives, Brothers & Sisters e tantas outras terminaram quando tinham que terminar.

Devo dizer, no entanto, que Weeds, hoje, amanhã e sempre seguirá como uma de minhas favoritas! Me fez sentir.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*