Estreia de O Tempo Não Para: As peripécias de Marocas

O tempo não para
O tempo não para

Chega a maioridade de Marocas (Juliana Paiva) e seus pais, Dom Sabino (Edson Celulari) e Agustina (Rosi Campos), resolvem promover um début para apresentá-la à sociedade. Às vésperas do baile, sentada diante de um pintor de quadros há mais de três horas, Marocas está impaciente. Seus quadris doem e suas pernas já estão dormentes. A linda pintura a óleo, “digna de museu”, foi um desejo de seu pai, que é um fiel súdito e devoto da monarquia e não poupa esforços ou recursos para se aproximar das tradições da coroa. O retrato de um doce e plácido rosto, porém, não reflete nem parte de toda a personalidade e força que Maria Marcolina, como foi batizada, possui.

Logo depois que o quadro fica pronto, Marocas dá uma escapulida para um banho de riacho acompanhada de sua dama de companhia, a escrava Damásia (Aline Dias). Lá, elas flagram Bento (Bruno Montaleone), que está ali para um mergulho ao lado dos colegas formandos da Academia de Direito. As duas ficam espiando pelos arbustos, com olhos de curiosidade. Sem que elas percebam, o rapaz se aproxima e as surpreende no “esconderijo”. Ele se apresenta como um poeta e fica obcecado por Marocas, pois nunca vira uma moça tão radiante e destemida.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*