Arquivo da tag: fascinação

Record segue copiando esquisitices do passado do SBT

Escrava mãe, provavelmente, já teria acabado se tivesse sido exibida pós-Dez Mandamentos. Não tenho bola de cristal para adivinhar o futuro e muito menos o passado, mas, baseando-me na alta audiência da novela bíblica, as venturas e desventuras da mãe de Isaura tinha tudo para herdar uma boa audiência. Creio que ficaria no patamar das reprises bíblicas. Mas a emissora resolveu dar uma de SBT do passado e engavetar a novela.
Pra quem não se lembra, o SBT já brincou muito disso. Pérola Negra estreou tempos depois de ser gravada. Tanto que era para Patrícia de Sabrit ser a protagonista de Fascinação, mas ela não aceitou justamente por isso. Na época, Fascinação, que foi gravada depois de Pérola, foi ao ar antes. Pérola Negra só foi ao ar depois da exibição de Fascinação. A grande produção Os ossos do barão também só foi exibida depois de finalizada.

O caso mais gritante foi de o quinquagésimo nono remake de O direito de nascer feito pela JPO Produções em 1997 e só exibido pelo SBT em 2001. Uma coisa impensável. Por último, vem Corações Feridos, gravada em 2010 e só exibida em 2012. Um caso mais grave pois aqui os contratos eram por obra. É o mesmo caso de Escrava Mãe, em que a maioria dos atores são contratados por obra certa, ou seja, só para aquela produção específica.

A indefinição acaba prejudicando esses atores porque outras emissoras ficam receosas de contratar alguém com trabalho inédito que não foi exibido por poder haver uma coincidência nas exibições. Foi o que aconteceu com Milena Toscano que perdeu importante papel em Carinha de anjo por isso. A Record aguarda o fim de Totalmente Demais pra estrear sua novela às 19 h e 30 min, mas quem garante que Haja Coração não vai herdar a audiência de sua antecessora? Era muito mais coerente ter exibido no horário que falei acima. Risco por risco, vai ser muito arriscado tirar parte do Cidade Alerta, que entrega com alta audiência para Os dez mandamentos.

O importante agora é que, para o bem dos atores, a novela seja logo exibida seja em que horário for . Fico por aqui, um abraço a todos e até a próxima.
* por Gilmar Moraes

RUBI, tão bela quanto boa de audiência

Rubi definitivamente está entrando para a clássica lista de novelas eficientes do SBT, que é composta por novelas como:  Marimar, Maria do Bairro,  A Usurpadora, Pérola Negra, Fascinação, dentre outras, que passam e repassam e ainda assim sempre garantem uma boa audiência. Mesmo que todos saibam praticamente de cor suas histórias sintonizam no canal para vê-las. Há um magnetismo inexplicável nessas novelas.

 
A Usurpadora e Maria do Bairro são, sem dúvidas, as campeãs de reprises e de audiência. Reprisadas pelo menos umas quatro vezes, elas sempre vão bem e a vice seguraram em suas últimas reprises. Ao terminar A Usurpadora o SBT temia uma queda de audiência e muito pelas sugestões dos fãs a emissora escalou Rubi, produzida pela Televisa em 2004 e protagonizada por: Bárbara Mori, Sebastián Rulli,  Eduardo Santamarina e Jacqueline Bracamontes a trama narra a história da bela, porém má Rubi que inovou ao trazer uma das poucas protagonistas vilãs da teledramaturgia mexicana. A novela surpreendeu e até aqui está com uma audiência superior a da última reprise de A Usurpadora. A média é de 6,5 contra 5,8. Isso em termos de média geral já que há dias em que chega aos 8, 9 pontos, dando até alguns sustinhos na Globo.
 
Rubi está se tornando mais uma novela querida pelo público do SBT. É a terceira vez que passa e também se saiu bem em todas as exibições. A torcida é para que, em  outubro, quando provavelmente termine, seja substituída à altura. Sugiro A Madrasta, que tem todas as características para também entrar para o seleto grupo que Rubi entrou. Fico por aqui, um abraço a todos e até a próxima.

* Gilmar Moraes

O incrível poder de adaptação de Walcyr Carrasco

Quando escreveu Xica da Silva para a saudosa Rede Manchete Walcyr Carrasco conseguiu se adaptar à linguagem que os telespectadores do canal estavam acostumados e escreveu uma novela densa, forte e erótica. A trama foi um grande sucesso, aliás, o último da Rede Manchete. Como era contratado do SBT pouco tempo depois escreveu para emissora Fascinação, uma das novelas mais queridas do canal. Também nesse caso soube se adequar ao gosto dos telespectadores do SBT e escreveu uma novela dramática, romântica, muito parecida com os dramalhões mexicanos, o que agradou em cheio. Esses dois exemplos já mostram como o autor consegue se adaptar já que por eles notamos a distinção de público com que ele lidou. Mas não para por aí.

No início da década de 2000 ele estreou na Globo, no horário das seis, e nesse horário escreveu grandes sucessos como: O cravo e a rosa, Chocolate com Pimenta e Alma Gêmea. Novelas inesquecíveis que marcaram o horário. Quando precisou ir para às sete também conseguiu se adaptar ao horário escrevendo sucessos como: Caras e Bocas e Morde e Assopra. Depois veio Gabriela para o horário das vinte e três horas em que o autor também deu conta do recado. E agora estreou às novo com  Amor à vida, que tem tudo para ser mais um grande sucesso seu. Muitos dizem que ele é repetitivo, mas me diga qual autor não é? Até o idolatrado João Emanuel Carneiro vive repetindo em suas novelas personagens gays que não são gays, personagens que parecem bonzinhos, mas são na verdade a reencarnação do mal. E poderia citar aqui vários outros exemplos de autores que repetem elementos em suas tramas. Voltando ao Walcyr o fato é que nos horários em que era permitido e que agradava ao público víamos muitas tortas na cara, guerra de comida, mas não vimos isso em Gabriela e nem em Amor à vida, sinal claro de que ele sabe muito bem a quem está se dirigindo.

Em quatro capítulos Amor à Vida já é melhor que uma Salve Jorge inteira

É impressionante o quanto Amor à Vida é boa. Até aqui, passados quatro capítulos, não existe o menor sinal de “fogo de palha”.

A trama de Walcyr Carrasco estreou repleta de acontecimentos e está seguindo assim, com um fôlego impressionante.

A cada nova cena uma sacada, um acontecimento que emociona ou faz rir, somado ao show do elenco, a direção extremamente afinada com eles e o texto do autor.

Confesso, não esperava tudo isso de Walcyr Carrasco. Mesmo o autor tendo um passado bem interessante, com Xida da Silva e Fascinação no currículo, estamos diante de um folhetim com um ritmo que atualmente estamos habituados a assistir nas tramas de João Emanuel Carneiro.

Finalmente um autor da velha guarda compreendeu o motivo do sucesso de Carneiro: é acontecimento atrás de acontecimento, fazendo o público vibrar, desejar mais.

Se continuar assim, Amor à Vida tem tudo para bater a audiência de sucessos recentes como Avenida Brasil e Fina Estampa.

A conferir.

SBT anuncia retorno de novela Marimar

Pouca prática é apelido, né?

Bem sabemos que o acervo de novelas da emissora para reprise é curto, não a toa a cada cinco anos ressurgem com Pérola Negra, Fascinação, Maria do Bairro, A Usurpadora e cia.

Desta vez, no entanto, estão querendo “surpreender”.

Segundo o RD1, o canal de Silvio Santos veiculou uma chamada anunciando o retorno de Marimar, protagonizara por Thalia, para junho, substituindo Rosalinda.

É uma emissora assim que quer brigar pela vice-liderança de audiência.

Quer dizer, no final das contas, é aquela velha história: somando todas as concorrentes, não dá uma Globo.

E ainda reclamam do monopólio da emissora carioca…

SBT só pode estar maluco, não?

Ontem o bafafá nas redes sociais era um só: a re-re-re-re-re-reprise de Marimar.

Bem sabemos que o canal adora um mofo, mas não precisa exagerar, né? A novela foi exibida ano passado!

Vão começar tudo de novo? Depois vem Maria do Bairro, Maria Mercedez, escalam novamente Pérola Negra, Fascinação…

É bem verdade que o acervo de novelas da emissora não é assim tão grande, especialmente as que poderiam voltar ao ar garantindo bons índices…

Só que tudo tem um limite, não?

Quem é Adamo Angel?


Entre 1996 e 1997 aconteceu um dos fatos mais curiosos da teledramaturgia brasileira. No dia 17 de setembro de 1996 estreou na saudosa Rede Manchete a novela Xica da Silva, que veio a ser o último grande sucesso da emissora. A novela protagonizada pela novata Taís Araújo, de 17 anos, na época, contava a história da escrava que virou rainha e era repleta de cenas quentes e fortes. A trama era escrita com  maestria. Mas por quem? Essa era a grande pergunta que a imprensa da época fazia.
 
Ninguém conhecia Adamo Angel, nome que aparecia nos créditos, como autor da novela. Como a trama vinha fazendo muito sucesso a curiosidade dos especialistas em televisão só aumentava. Adamo Angel era na verdade um pseudônimo, mas de quem? A revista Contigo trouxe uma grande reportagem na época que apontava vários “suspeitos” de serem o real autor. Mais tarde veio à tona que se tratava  nada mais nada menos de Walcyr Carrasco.

Walcyr Carrasco usou o pseudônimo Adamo Angel porque era contratado do SBT na época e como estava sem escrever para a emissora de Silvio Santos topou escrever Xica da Silva para a  Manchete. Punições, multas, não houve. Depois que acabou Xica da Silva Walcyr escreveu sua última novela no SBT, o grande sucesso Fascinação de 1998.

Em 2000  estreou na Globo onde está até hoje escrevendo sempre novelas de grande êxito. Em 2005, Xica da Silva, a novela que escrevera para Manchete sendo contratado do SBT, foi parar nas mãos da emissora de Silvio Santos e a reprise rendeu uma boa audiência sendo vice-lider do começo ao fim.

Por último, poucos sabem, mas antes de ir para Globo,  Walcyr Carrasco escreveu para o SBT uma outra novela chamada Segredo, uma trama de época que se passava nos anos cinqüenta. A novela está lá, prontinha, só falta o SBT gravar. O que chama atenção nessa história é como o Silvio Santos é benevolente e não é vingativo, se fosse com um autor de outra emissora não sairia barato como saiu para o Walcyr no SBT. Fico por aqui, um abraço e até a próxima.

* Gilmar Moraes